AS BOLOTAS

Neste Outono na VNatura sugerimos algumas receitas com bolotas um dos principais alimento dos povos ancestrais lusitanos e que apesar de ser um fruto que caiu em desuso com o passar dos séculos ainda é consumido em algumas regiões rurais portuguesas.

“O fruto da sobreira chama-se lande (popularmente landre, alandia) e daí se formou Landal, Landeiro, Landeira: as landes servem de alimentação aos porcos nos montados alentejanos; só em certos casos as comem as pessoas.

O fruto da azinheira, que é doce ou amargo, chama-se bolota ou boléta (Alentejo), e, se serve igualmente para os porcos, entra também, quando é doce, na alimentação da gente (comem boléta no Alentejo, do mesmo modo que nos terrenos de castanha os respectivos povos comem estas).

O fruto (do carvalho) destinado a engorda de porcos, chama-se (analogamente ao do sobreiro e da azinheira) lande ou landre, bolota ou boleta, conforme as localidades, (apresenta-se) inserido numa cúpula.”
José Leite de Vasconcelos: Etnografia portuguesa.

bol

Actualmente as bolotas e desde há algumas décadas não são um produto que tenha um mercado que justifique a sua produção para usos culinários e são utilizadas na sua maioria para alimentar porcos e outros animais. Todavia a bolota já foi um dos alimentos principais na dieta de alguns povos como os Lusitanos. Os Lusitanos para contornarem a escassez de cereais no Inverno, Colhiam as bolotas no Outono, transformavam-nas em farinha para produzir pão. Esta farinha uma vez seca, pode ser conservada durante todo o Inverno.

“Na quarta parte do ano não se mantêm senão de bolotas, que secas e trituradas, se moem para fazer pão, o qual pode guardar-se por muito tempo” Estrabão

A bolota apesar de conter taninos o que lhe confere um gosto um pouco amargo, é um fruto que continua a ser consumido e apreciado por algumas pessoas da região do Alentejo, em especial do Baixo-Alentejo. Infelizmente o uso tradicional culinário da bolota tem-se vindo a perder com o passar dos anos e é quase impossível conseguir bolotas nos grandes centros urbanos mas, aqui ficam algumas receitas que não caíram no esquecimento e continuam a ser confeccionadas pelas gentes do sul de Portugal. Para quem nunca teve a oportunidade de consumir bolotas aconselhamos vivamente que o façam pois para além de serem uma parte importante da nossa cultura gastronómica é um alimento saboroso e óptimo com vários nutrientes, vitaminas e proteínas.

Bolotas Assadas

As Bolotas podem ser comidas cruas, mas é comum serem assadas nas brasas das lareiras. As bolotas doces podem ser consumidas cruas e assadas sem qualquer problema, contudo nas bolotas amargas devem-se neutralizar ou eliminar os taninos.

O consumo de bolotas assadas ou cozidas é ainda bastante comum nas populações rurais de Portugal.

Receita do Pão/Bolo de bolota

A Farinha:

Apanhar bolotas doces.
Tirar a casca e pôr de molho vários dias, mudando de água frequentemente.
Cozer longamente em água. Os taninos irão tingir a água de vermelho. Recomeçar até que água saia clara. Este passo é fundamental para que os pães não fiquem amargos nem indigestos.
Moer então as bolotas numa mó manual, à romana, (ou qualquer outro método mais moderno), até obter uma farinha.

O Pão:

Para fazer os bolos, seguir uma receita comum do pão (farinha de bolota, água, sal, fermento). Pode torná-la mais atractiva, tal como o fariam os lusitanos, incorporando mel, frutos secos ou um pouco de azeite, já à moda Romana.

(Fonte: Fórum Gastronomia)

*Pode-se adicionar farinha de milho ou de trigo para tornar o pão mais saboroso.

Sopa de Bolotas

Prepare uma sopa comum de feijão e batata mas substitua a batata por bolotas. As sopas em Portugal em tempos tiveram todas na sua base castanha e bolotas, mas depois dos descobrimentos e da introdução da batata em Portugal, esta substituiu as tradicionais castanhas e bolotas.

Queijinhos de bolota

Esta receita pertence ao livro de Soror Maria Leocádia Tavares de Sousa que professou no Convento da Conceição de Beja.

Ponha 500 g de açúcar em ponto de cabelo e deite 500 g de bolota, pelada e ralada. Junte uma clara de ovo e um pouco de canela. Retire do lume depois de ferver e deixe arrefecer. Com esta massa fina, molde com as mãos uns queijinhos, metendo no meio recheio de ovos-moles.

(Fonte: Sociedade agrícola do Freixo do Meio)


Doce de Bolotas

Cozem-se as bolotas e após estarem bem cozidas, retira-se a casca e a pele. Moem-se as bolotas e pesam-se. Levam-se as bolotas novamente ao lume com um pouco de água e com açúcar equivalente ao peso das bolotas. Deixa-se ferver alguns minutos até secar.
Serve-se em taças com alguns frutos secos, ou utiliza-se como compota para recheio de bolos, barrar em pão…

Azevias

Pensa-se que as azevias eram também elas originalmente recheadas com um doce de bolotas pisadas com mel ao qual era adicionado grão, chila ou feijão.

About these ads

60 thoughts on “AS BOLOTAS

  1. olá quando vivi no ALENTEJO comi muita muita azinha ,as bolotas são para os porcos e são diferentes ,são mais gordas e as azinhas são mais achatadas ,a azinha come-se de qualquer maneira, crua é como fosse castanha se conseguirem azinhas não vale a pene estar com o trabalho a tirar o amargo das bolotas.

    Gosto

  2. Excelente artigo! É sempre bom manter as receitas tradicionais, ainda mais se conterem alimentos tão sobrestimados como as bolotas.
    Na minha zona existem alguns sobreiros, cuja bolota é amarga (provei-as cruas) e ao ler este artigo reparei que estas são apenas para alimentar os porcos. São mesmo impróprias para consumo humano ou podem-se processar para ficarem comestíveis?

    Gosto

  3. Pingback: AS BOLOTAS « De Cultura

  4. Pingback: Ementa na Língua » Chefes e Restaurantes: Jantar de Bolota no Gemelli

  5. Portugal podia ser um paraíso… mas tem tantos donos e há tanta ganância… que paraíso só mesmo na outra vida… ou não.

    Gosto

  6. Caríssimos.Moro no Brasil,em pleno Rio de Janeiro e nunca tinha ouvido falar de
    BolotasNum grupo de estudos do Evangelho,coube-me pesquisar, na Parabola
    do Filho Pródigo, a parque em que o jovem surpreendido pela fome que grassava
    numa região distante,tendo dilapidado toda a fortuna que tinha recebido,
    empregou-se como cuidador de porcos, sendo lhe negada até as bolotas que
    alimentavam os suínos.
    Daí a minha surpresa de ver a grande variedade de informações sobre a utilização
    da bolota na alimentação tando de porcos como de humanos.Abraços a todos.
    Que Deus nos abençoe.Saudações, Celso Souza

    Gosto

  7. Boa tarde,

    Sou um pequeno produtor de amêndoa e azeite de trás-os-montes e tenho um pequeno terreno livre onde irei plantar algumas árvores, mas face a algumas dificuldades que tenho em escoar a minha produção ainda não decidi o que lá irei plantar. Como vi esta interessante dicussão sobre a bolota e ainda por cima tratando-se de uma espécie autóctone fiquei a pensar se haverá mercado caso optasse por plantar azinheiras. Uma outra questão é se alguém sabe como é que o sabor da bolota (independentemente da espécie) é influenciado pelo clima, ou seja se no norte são mais ou menos doces.

    Cumprimentos,

    João Tomé
    joaobtome@gmail.com

    Gosto

  8. Olá, Dirce…só hoje, por estar à procura de informação sobre “bolotas”, vi o seu apelo. Já conseguiu o que precisava??

    Gosto

    • Anonimo, sou a Dirce que procura por glandes de carvalho, infelizmente ainda não consegui, voce sabe como eu posso fazer para conseguir?, pelo amor de Deus se voce sabe me ajude por favor ficarei muito agradecida estarei aguardando uma resposta sua e que te DEUS te abençoe.

      Gosto

    • ola´Anonimo sou a Dirce que esta a procura de glandes de carvalho e que infelizmente não consegui encontrar por favor anonimo diga me como faço para comprar com voce ja que voce vende; pois eu preciso com urgencia e para remédio´estarei aguardando sua resposta desde ja eu te agradeço.

      Gosto

  9. Muito interessabte esta troca de informação. Desejo continuar a seguir o evoluir desta idéia. Há que procurar novas fontes de nutrição e elas encontram-se no seio da mãe naturaza. Fico á espera.

    Gosto

  10. ola eu sou de alcobaça e moro perto de azinheiros e os donos deixam me apanhar as bolotas e como sou cozinheiro sugiro que façam um maravilhoso pudim de de bolota adeus e saudaçoes

    Gosto

    • ja agora e feito como pudim de amendoa amarga so que substitui-se o licor de amendoa amarga por licor de bolota (a venda em muitos supermercados) boa sorte a todos

      Gosto

  11. Outro dia fiz uma rerceita com bolotas que me trouxeram apanhadas no Alentejo, mas só agora vi este vosso texto, vou adicionar um link para aqui.
    Também me falaram da Herdade do Freixo do Meio, vou ver se passo pelo Mercado da Ribeira a ver se encontro a farinha de bolota, já agora experimentava fazer um pão a ver como sai.
    Tenho uma amiga que tem um enorme carvalho à porta de casa para a zona de Figueiró dos Vinhos, alguém me sabe dizer se as bolotas do carvalho são comestíveis?
    Um abraço
    Manuela

    Gosto

      • meu é dirce moro em são paulo,Brasil gostaria muito de saber onde conseguir bolotas de carvalho aqui em são paulo; eu preciso com urgencia pois é para remedio se alguem puder me ajudar me dando endereço ficarei muito grata ou se alguem puder me mandar de portugal eu mesmo pagarei o frete aguardo uma resposta sei que no mundo ainda existe muita gente boa e Deus vai ajudar que eu vou conseguir obrigado a todos.

        Gosto

  12. Rosália, hoje em dia não é fácil. Terá que entrar em contacto com um proprietário que tenha um montado, e pedir-lhe as bolotas (se ele não tiver uma exploração de porco de montado, claro está). Para já, creio que ainda não existe propriamente um circuito comercial de bolota.
    Por outro lado, começam a ser feitas as primeiras experiências mais sérias na transformação da bolota, em Portugal. Sei que a Herdade do Freixo do Meio (perto de Montemor-o-Novo) está a proceder à transformação da bolota em farinha. Eles têm uma loja no Mercado da Ribeira, em Lisboa, e é possível que comercializem a farinha por lá. Mas encontra mais informações no sítio deles, em http://www.herdadedofreixodomeio.com/

    Gosto

  13. Tema interessante o do consumo de bolotas…
    Quando era miúdo aqui no algarve comia-mos bolotas de azinheiras, cozidas, assadas, ou mesmo cruas. Nós sabiamos quais as árvores que davam bolotas doces, elas não se distinguem, só mesmo provando. Dizem que se se colocar as bolotas amargas de molho os taninos dissolvem-se e vão desaparecendo, à semelhança dos tremoços, eu nunca experimentei pois havia azinheiras suficientes de bolotas doces. Uma curiosidade: depois de se comer bolotas, se beber um copo de água esta tem um sabor adocicado… mesmo bom. Outra curiosidade: bolotas comidas com figos secos são equivalentes a amêndoas, e óptimas…. e se forem acompanhadas com um cálice de aguadente de figo,… então nem se fala.

    Gosto

  14. Pessoal é altura das primeiras expêriencias as primeiras já estão de molho há dois dias vou começar a retirar-lhe o oleo cozendo-as, volto mais tarde para contar o que consegui.

    Gosto

  15. Pessoal, sou brasileiro e também estou praticando essa ideia genial de consumir produtos de espécies nativas! É uma forma de preservar a ecologia local. Só que, como moro no Brasil, procuro dar preferência ao consumo de espécies nativas do Brasil, como o milho, a mandioca, a goiaba, o abacaxi, a abóbora etc. Sigam com essa ideia, consumindo bolotas de carvalho, morangos, framboesas, aspargos, alho e outras espécies típicas de Portugal!

    Gosto

  16. Moro perto do Parque Florestal de Monsanto, em Lisboa, onde há abundância de bolotas. Tenho experimentado algumas, ora apanho das doces, ora das adstringentes, mas ainda não apredi a distingui-las. Vou aproveitar as dicas acima, para tentar acertar nas doces. No entanto, talvez se possam “amaciar” as azedas, talvez colocando-as de molho, será?
    Acha a bolota doce um alimento excelente e nem percebo porque não é comercializado como a castanha!

    Gosto

  17. Eu sou alentejano e posso esclarecer algumas questões: as bolotas de azinho são as únicas consumidas por humanos no Alentejo, normalmente. Só há notícia do consumo de outras bolotas (a lande ou abastão de sobreiro – como se chama em algumas zonas do Alentejo – por exemplo) em alturas de grande escassez de alimentos. Como disse o José Calhau, mesmo as bolotas de azinho têm que ser escolhidas, só algumas árvores dão bolotas doces. Mas é bastante fácil distinguir uma bolota de azinho de uma de sobreiro, principalmente se se identificar a árvore (o que também não é difícil). Os sobreiros distinguem-se das azinheiras por terem uma casca bastante mais grossa e rugosa (a cortiça). Também pela folhagem é possível distinguir facilmente uma azinheira de um sobreiro. As folhas da azinheira têm os bordos quase lisos, ao passo que as de sobreiro têm os bordos mais recortados.
    Encontram imagens de bolotas de azinho por exemplo aqui [http://www.cgd.pt/Institucional/Caixa-Carbono-Zero/Floresta-Caixa/Especies/PublishingImages/Azinheira.jpg] (bolota ainda verde) e aqui [http://3.bp.blogspot.com/_Xt9n5gUCTME/SUeXNuv7MxI/AAAAAAAAArQ/60mvCRemLLc/s320/bolota1.jpg] (já quase completamente madura). Encontram aqui [http://1.bp.blogspot.com/_d8vtKLZJkd0/S8kP-QJAm1I/AAAAAAAADlY/rgyx3L0yqk0/s400/bolotas.jpg] um exemplo do abastão ou lande de sobreiro. Reparem que são menos oblongas, mais arredondadas na ponta.
    Actualmente as bolotas são consumidas ocasionalmente no Alentejo, e já não como parte da alimentação quotidiana. Consomem-se cruas, cozidas ou assadas nas brasas da lareira. O que é uma pena, porque estou certo que são frutos que poderiam trazer benefícios a diversos níveis.
    Sei que a mensagem já é de 2008, mas se o Pedro Mendes me quiser contactar, talvez o consiga ajudar.

    Gosto

    • Gostaria de saber quem me pode fornecer boleta doce ou onde posso com autorização do proprietário proceder à sua colheita. Penso que é de promover este tipo de alimento e de incentivar os alentejanos
      a produzirem a azinheira de boleta doce (quercus ilex rotundifólia)azinheira de copa redonda. Mesmo que seja amarga pode ser utilizada como demonstraram já os americanos. Fico grato se alguém estiver interessado em dar-me uma ajuda na colheita da boleta e participar no desenvolvimento deste tão importante alimento.Os “suinos” alentejanos sabem bem desta realidade pelo que a carne é de um valor incalculável.
      Obrigado pela vossa informação

      Gosto

      • Que eu saiba este fruto não existe há venda .Pois em qualquer montado pode apanha-las que ninguém lhe dirá nada excepto nas herdades vedadas que o proíbem de o fazer mas por questões de alimentação de animais ou para que elas sirvam de adubo natural ou para alimentação de caça, pois tirando isto é um fruto quase sem valor comercial embora no passado ele fizesse parte da alimentação das populações ate para fazer pão uma coisa que vou tentar fazer este inverno, mas que vai demorar tempo pois terei que dominar diversas tecnicas que irão desde a moagem ate há conservação e aqui sim como se diz no alentejo: ” é que a porca troce o rabo” porque esta farinha tem tendencia para apodrecer rapidamente se as coisas correrem bem apresentarei os desenvolvimentos na feira mediaval de Avis.

        Gosto

        • José que tal estão a sair as experiências? apesar de ter publicado o metodo de fazer farinha para ser sincera nunca experiementei e tinha curiosidade em saber como fica e se o metodo funciona mesmo até porque queria actualizar este texto com umas receitas novas.

          Gosto

          • foi um mau ano para experiencias pois apenas pude apanhar um punhado delas por causa da chuva, o que não deu para conclusões queria retirar-lhe o travo amargo e experimentei mante-las dentro de agua depois de cozidas não sabiam a nada e não e o que pretendo, quero maqnter-lhe algumas das caracteristas assim estou aberto a sugestões para a proxima campanha .

            Gosto

      • Viva meus caros. Vivo no Alentejo perto de Évora e creio que vos posso ajudar no que toca a arranjar bolotas.

        Antes de mais, aconcelho a arranjarem bolotas de Azinheiras. São um pouco mais pequenas mas bem mais saborosas. As de Sobreiro costumam ser mto amargas.

        Gosto

        • Olá Homem,

          Como vive no Alentejo, poderá mais fácilmente contribuir com a sua ajuda na colheita de boleta doce de azinho, indicando quem se dispõe a deixar colher esse tipo de boleta e promover a sua utilização na alimentação humana. O que é bom não o deve ser apenas para os suinos.

          Gosto

  18. Bem sou alentejano (norte alentejano) que ue saiba e por experiencia as bolotas comestiveis (doces) são apenas as de azinho as outras são mesmo só para os porcos pelo menos no alentejo ninguem as come por serem muito mais azedas que as de azinho mesmo estas tem que se escolher as arvores, claro que os ditos porcos as conhecemplo cheiro e correm para elas se puserem na frente de umporco bolotas de azinho , sobreiro ou carvalho o porco comerá asmais doces e vão ser as de azinho no alentejo chamamos as outras landes

    Gosto

  19. Pois como já discutimos anteriormente parece que hoje em dia são raras as pessoas que ainda sabem distinguir as bolotas doces. Eu nunca experimentei bolotas de carvalho, smp comi as de azinha que são as mais comuns no sul mas segundo me informaram sim, as bolotas de carvalho são comestíveis. Boa sorte com o pão, se puder partilhar o resultado final ficávamos gratos ;)

    Gosto

  20. Acabei de ver um progrma na RTP em que referiam o uso da bolota na culinária, o que me levou a procurar saber mais aqui na net. A bolota de Carvalho é então comestível? Gostava de saber como distinguir bolota doce. Obrigada pela partilha! Vou tentar fazer pão ou bolo de bolota.

    Gosto

  21. Achei muito interessante este tema sobre as bolotas.
    Já a alguns anos vim um programa na televisão , que se intitulava “Para lá do ano 2000″ (?) o programa em inglês, falava de vários temas interessantes, mas recordo-me de um em particular em que o apresentador falava que as bolotas para além de serem um excelente alimento eliminavam os metais pesados.
    Ele referia que no Vietname tinham , até uma festa em que os participantes faziam uma papa de bolota e comiam ,como de um ritual se trata-se .
    Ele foi mais longe, e fez um teste em que colocava num recepiente um pouco de água~, um metal pesado, que agora não me lembro qual foi,(mercúrio ou chumbo) e juntou um objecto , e via-se esse mesmo objecto a rodar por força da radiação, logo a seguir adicionou um pouco de farinha de bolota e curiosamente o objecto para de rodar!!!

    A partir desta curiosidade ando louca em saber onde comprar bolotas para adicionar na minha alimentação.

    Parabéns pelo tema

    Gosto

    • Não sabia dessa propriedade das bolas, é realmente interessante e curioso, obrigada por partilhar :) Também eu adorava saber onde comprar bolotas mas é extremamente difícil encontrar alguém que as venda nas grande cidades, tive conhecimento de um fornecedor de frutos secos e talvez arranje mas ainda não tenho o contacto, quando obtiver o contacto e se ele arranjar mesmo eu partilho aqui ;)

      Gosto

  22. hoje fui passear pela floresta apanhei alg, blotas vou experimentar a v/receita , acho o fruio duma beleza erotica extraórd, irei escreverb uma poema sobre ele/a. depois publicarei aqui. é um compromisso, palavra de honra como diria meu Avo,- um abraço p/ vos isto e o n/Portugal ´´ verdadeiro slow food.

    Gosto

  23. Caríssimos,
    Elucidativa e bem cuidada a informação aqui divulgada.
    Sou chefe de cozinha num Hotel em Lagos e tenho dado voltas para encontrar quem me forneça a bolota de azinha, pois quero introduzí-la no menu de inverno ( penso ter conseguido).
    Tenho grande interesse em recuperar produtos portugueses que cairam em desuso por motivos económicos,culturais,etc. e trazê-los à mesa, reinventando receitas e apresentação, mas com base na tradição.
    Se tiverem mais ideias sobre produtos nesta situação, bem como encontrá-los, por favor partilhem comigo.

    Grande abraço

    Gosto

    • gostava de trocar impressões consigo pois tou a pensar fazer o mesmo só que sou amador não um profissional como vc.

      Gosto

  24. Caros amigos;

    O vosso texto sobre as bolotas levou-me a querer falar convosco sobre um tema que há muito me motiva à reflexão.
    Penso que o revitalizar de receitas envolvendo alimentos como castanha, bolota, nozes, amêndoas, avelãs, figos, etc, poderá constituir uma razão adicional para estimular a sociedade de uma forma global a querer preservar a floresta autóctone, condição indispensável para a preservação da biodiversidade. As áreas ocupadas com azinhal, castanheiro,por ex., decrescem de há muitos anos. Todos os contributos para o revitalizar destas plantas são bem-vindos. Uma acção concertada tendente a divulgar práticas culinárias implicando o uso destes alimentos, através de feiras, workshops, sessões com agricultores,seria um projecto de longo prazo interessante de se realizar de forma conjunta entre diferentes entidades.

    Que acham?

    João Correia

    Gosto

    • João,

      Não so acho excelente, como tenciono fazê-lo.
      Vou por em prática as receitas que aqui deixaram, e começar ja a apanhar as bolotas de carvalho.
      Mudei-me recentemente para a serra da estrela, e teria muito gosto se quizer por em pratica alguma dessas acções.

      catarina

      Gosto

  25. Olá Graça,
    Nunca apanhei bolotas porque também não as sei distinguir, quem o fazia era o meu bisavó que era grande entendido na matéria. Segundo me lembro ele dizer as de sobreiro são mesmo só para os porcos. As comestíveis (mais doces) no sul (Alentejo) são as bolotas da azinha. No norte se não estou a dizer nenhuma idiotice julgo que são as de carvalho. Gostava de a puder ajudar mais mas também eu só as sei distinguir quando as provo.

    Gosto

  26. Olá
    Adorei as receitas de bolota, não sei se posso experimentar. No sábado passado apanhei duzias de bolotas em St. Margarida da Serra, Grândola, são um pouco adstringentes, mas grandes e carnudas, são bolotas de sobreiro. Como faço para achar as doces ou retirar o amrgo às minhas?
    Obrigada
    Graça

    Gosto

Deixa uma ideia!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s