MONUMENTOS NATURAIS: PEDRA FURADA

A Pedra Furada, um geomonumento, situa-se na estrada da Graça, Distrito de Setúbal, integrando-se assim num dos pólos do Museu Nacional de História Natural.

Tendo uma história de mais de 3 milhões de anos, foi só em 1837 que foi “reconhecido” e descrito. Foi o Barão Von Eschwege que o descreveu como “Vegetais que foram envolvidos nas dissoluções ferruginosas à roda deles”. Posteriormente em 1916 o Coronel Marques da Costa também reconheceu este fenómeno e descreveu a pedra furada como sendo um vestígio de uma estrutura maior, e receou que esta também poderia vir a desaparecer. Também o Coronel tentou explicar a origem desta estrutura e descreveu-a como “forma de uma série de agulheiros de secções muito variadas”.

Mas só, quase um século depois, é que este monumento foi classificado como Monumento Nacional, a 6 de Janeiro de 2003, e reconhecida a sua raridade à escala mundial, devido às estruturas colunares correspondentes a tubos de arenito mais endurecido, que no interior, contêm areia solta.

A Pedra Furada representa um grande valor geológico devido à raridade, em todo o mundo, deste tipo de formação rochosa. É igualmente um marco etnológico da cultura de Setúbal, sendo-lhe constantemente associadas histórias, lendas e tradições.

Uma das mais famosas lendas associadas a este fenómeno é a da Invasão Espanhola.

Reza a história que por altura do desaparecimento de D. Sebastião em Alcácer Quibir, Setúbal, terra patriótica, e de gente pronta a colaborar com os reis, viu-se confrontada com a hipótese dos seus governantes abandonarem o povo por temerem a chegada das tropas espanholas.

Perante tal hipótese o povo procurou os seus governantes, recordando-lhes que o seu lugar era junto deles.

Então, um dos governantes disse: ”podem estar certos que nós não vos vamos abandonar. E que os buracos da Pedra Furada aumentem se a gente os deixar ficar sós…”.

Para mal dos setubalenses, os buracos aumentaram, pois os governadores, com medo dos invasores espanhóis, fugiram, refugiando-se, no dia 20 de Junho de 1580, na albergaria da Ermida de Santiago. Setúbal sucumbia às tropas espanholas um mês depois.

Outra das lendas populares associadas à Pedra Furada é a da Moura encantada.

Citada por Arronches Junqueiro, uma moura encantada viveria na gruta que se abre na base da Pedra Furada, onde, por vezes, aparecia sob forma de uma serpente.

Os mais antigos recordam-se ainda de procissões e romarias ao “rochedo”, que apelidavam de mágico perante o exotismo que o caracterizava.

A memória de alguns recorda um painel de azulejos, que até há pouco tempo existia em Setúbal, num prédio do bairro Salgado, que representava os passeios que o povo fazia à Pedra Furada.

2 thoughts on “MONUMENTOS NATURAIS: PEDRA FURADA

  1. boa noite muito bonito o projeto do manumento,pois faço tecnico em meio ambiente em São Paulo, e eu gostaria de saber as escalas de serviços( quem trabalha como trabalha em um monumento ) se for possivel também as faixas salariais, grato pela atençao.

    Gostar

  2. É justo salientar o papel do Prof. Galopim de Carvalho, na defesa e classificação deste geomonumento, hoje devidamente protegido.

    Gostar

Deixa uma ideia!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s